terça-feira , 12 dezembro 2017
Capa » ANTIPATIA – Resumo/Conclusão

ANTIPATIA – Resumo/Conclusão

resumo_antipatiaA proposta de trazer a discussão temas corriqueiros, tem como principal objetivo trazer informações que permitam a cada um sair do pensamento ligado ao Senso Comum, buscando um entendimento que melhor defina o seu momento, pois só você tem a capacidade para se reinventar.

A proposta para este tema é que cada colaborador escrevesse seus artigos, levando em consideração a origem do problema, os efeitos e quais soluções recomendam.

O tema ANTIPATIA – O que cria a repulsa imediata de duas pessoas que não se conhecem? Foi abordado de forma inteligente e com argumentos muito bem elaborados pelos colaboradores, mesmo que, aparentemente, as explicações possam parecer diferentes, podemos as semelhanças de cada argumentação, é o que chamaremos de IDEIA TIPO, ou seja, um ideia central que norteia o pensamento.

Por isso, tomei a liberdade e me aventurarei a resumir o tema, levando em consideração a ideia tipo comum nos textos.

ANTIPATIA é o sentimento antônimo de AFEIÇÃO, ambos têm origem nas interações entre os seres humanos e desses com a Natureza, portanto de origem externa, ou seja, não pertence ao Ser e, para ocorrerem, dependem dos resultados dessas interações.

O ser humano durante sua vida, se manifesta através da sua personalidade, resultado de todas as interações externas entre os demais Seres Humanos e a torna o ponto central de manifestação do Ser.

Dentro do Senso Comum, essa personalidade se forma através da convivência entre os Seres, porém, num contexto egoísta, onde as expectativas e necessidades individuais, precisam estar alinhados de alguma forma com as necessidades materiais, neste caso, Ter vira sinônimo de Ser e, o que é pior, isto ocorre, sem que o Ser tenha a consciência.

Por se basear em impulsos egoístas, criamos um mapa mental da nossa realidade, por influencia das nossas relações entre os Seres, que se baseiam na identificação pela beleza ou pelo sexo, por questões sociais, culturais e ou políticas. Por estas razões, imaginamos amar mais os nossos filhos do que os filhos dos outros, pois, os filhos alheios não compartilham conosco, a mesma história de sangue, familiaridade e criação.

A ANTIPATIA traz conflitos emocionais, mentais, desentendimentos entre colegas de trabalho, desarmonias na família, nos relacionamentos amorosos, ou então, quando uma outra pessoa deseja algo de nossa vida, dá origem a um outro tipo de sentimento, a INVEJA.

Uma coisa é certa, é um sentimento transitório, pois, pode mudar ao longo do tempo, sendo assim, possuí uma forma de tratamento ou de entendimento, de modo permitir encontrar nosso objetivo. O que mais importa é a capacidade do Ser em aprender, objetivando se melhorar e reconhecer seus impulsos, desenvolvendo uma percepção única sobre a Natureza e sua interação com os demais Seres que estão a sua volta, pois muitas vezes a razão é insuficiente para entendê-la.

Eliminando preconceitos, aprendendo a viver a nossa verdadeira vida espiritual, conseguiremos resgatar o SER em detrimento das questões relacionadas com o TER, pois, só o SER é capaz de conhecer a paz, a harmonia e o amor.

Somos nós mesmos os causadores das antipatias e desavenças, pois, tudo é uma questão de escolha, o modo como a realizamos e como agimos, isto tudo, determinará a qualidade de nossas escolhas e das nossas relações.

Vou deixar uma dica que aprendi a um tempo atrás e que utilizo até hoje, eu a chamo de técnica do AAA, trata-se de passar as informações que recebemos por um filtro, um “ASNEROL”, para impedir que continuemos a alimentar nossa mente com informações tolas e sem fundamentos, veja como é:

Aceite – tudo e a todos, mantenha sua mente aberta, isso evitará qualquer tipo de preconceito;
Analise – todas as informações devem passar pela julgo da Intuição e da Razão, isso determinará a sua escolha;
Aplique – se julgou que a informação é pertinente, aplique na sua vida, transforme as ideias em ação e resultados.

Uma outra coisa, a Persistência e a Perseverança, que são sub-habilidades pertencentes a faculdade da Força de Vontade, devem ser utilizadas até que se consiga o resultado que o satisfaça, assim como, também, as pessoas que estão a sua volta e a sociedade.

Abraços

Por Renato Alves

Fontes:
http://algomaior.com.br/budismo
http://algomaior.com.br/espiritismo
http://algomaior.com.br/fraternidade
http://algomaior.com.br/candomble

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE