terça-feira , 27 junho 2017
Capa » Educação » Para que serve a Filosofia?

Para que serve a Filosofia?

pensador 1Licenciado em Filosofia, acredito que assim como muitos colegas que se formam nesta disciplina se perguntam: E agora, o que faço com essa graduação? Para que serve a Filosofia?

Bem, para tentar responder a essa questão, vou fazer uma pequena narrativa pessoal. Este ano recebi um convite para fazer um curso de Pós Graduação em Aconselhamento Filosófico, imediatamente me perguntei: Como a Filosofia pode servir para “aconselhar” alguém? Qual papel o filosofo nessa relação “aconselhador” e “aconselhado”? Quais são as sustentações filosóficas para esta pratica?

A utilização da Filosofia como “ajuda” para as pessoas, como uma forma de terapia para cura dos males existências, nos parece um pouco ousado, não acham!!! Pois, não estamos habituados a entender a filosofia dessa maneira, aprendemos a Filosofia mais pela sua história e seus principais pensadores, estamos acostumados com palestras e cursos acadêmicos  focados na especialização sobre um determinado tema ou filósofo.

Mesmo assim, resolvi fazer o curso, o conteúdo didático e as pesquisas realizadas, demonstraram que desde os primórdios da Filosofia já se tinha uma preocupação em torná-la prática, mais ligada ao cotidiano. Os primeiros relatos são encontrados na Filosofia Epicurista, caracterizada como “Terapia da Alma”. Segundo Epicuro, um dos fundadores do movimento que leva seu nome, cabe ao filósofo aliviar o sofrimento humano e preencher os vazios existenciais dos indivíduos. Os Estoicos também discorreram sobre o assunto, o estoicismo deixa claro que o papel da filosofia é a arte de aprender a viver bem. Sócrates usou a filosofia para incentivar os seus concidadãos a exercitarem a reflexão lógica, examinando seus pensamentos e ações, questionando os conhecimentos tidos como verdadeiros.

O movimento de Aconselhamento Filosófico contemporâneo iniciou com Gerd Achenbach na Alemanha em 1981, começou como uma alternativa para os tratamentos psicoterápicos e psicanalíticos, mas não como uma nova espécie de terapia. Resumidamente, podemos entender o Aconselhamento Filosófico como um movimento recente, possuidor de fundamentos filosóficos validos e representantes sérios.

Para minha surpresa, as pesquisas me levaram a perceber novos horizontes sobre a aplicação da Filosofia no dia a dia, as disciplinas estudadas ao longo do curso permitiram-me explorar, com mais detalhes, pensamentos de filósofos que se dedicaram a isso, ou seja, torná-la mais acessível, eliminando a linguagem formal acadêmica e aproximando-a mais do senso comum.

A Filosofia, partindo do entendimento que é uma atividade crítica de investigação e de discussão de ideias, deve ser levada para entendimento de todas as pessoas, de qualquer idade e nível acadêmico.

No decorrer do curso, identifiquei que muitos países já estão oferecendo atendimento filosófico, um deles é Portugal. Instigado pela oportunidade de conhecer mais e melhor esse movimento e incentivado pelos colegas e professores, nas minhas férias viajei para lá com uma dupla missão, fazer turismo, claro, pois ninguém é de ferro, e entender melhor quais são os caminhos e desafios para que esse movimento tenha exito, também, no Brasil. Tive a oportunidade de conhecer e entrevistar quatro personalidades importantes desse movimento em Portugal, o que me fez visitar regiões diferentes, passando por por Lisboa, Coimbra, Porto e Braga.

Jorge e RenatoEm Lisboa estive com o senhor Jorge Humberto Dias, licenciado em Filosofia pela Universidade Católica Portuguesa, doutorado em Filosofia pela Universidade Nova de Lisboa, diretor do Gabinete PROJECT@ e membro do Conselho Científico da HASER – Revista Internacional de Filosofia Aplicada (Espanha). A entrevista ocorreu na sala de reuniões da Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica Portuguesa e tive o prazer fazer-lhe algumas perguntas sobre o movimento em Portugal, questões de ordens pessoal, profissional e de metodologia.

Rio MondegoCoimbra foi a sede da segunda reunião, tive a oportunidade de conversar com Filipe Magalhães Menezes, licenciado em Filosofia, Pós Graduado em Formação Educacional e mestre em Filosofia contemporânea, todos concluídos na Universidade de Coimbra. A entrevista ocorreu num café a beira do rio Mondego, numa conversa descontraída sobre o Aconselhamento Filosófico, Filipe está fazendo uma investigação histórico-filosófica sobre a origem e desenvolvimento do nexo entre a noção de um mal-estar atribuído a “males civilizacionais” e a noção de ajuda.

TomasPorto, cidade que deu origem ao nome Portugal, foi a sede da minha participação num café filosófico organizado por Tomás Magalhães Carneiro, licenciado em Filosofia pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, organizador do café filosófico do Porto e professor de Filosofia com Crianças. Especialmente para me receber, convidou seus amigos e me presenteou com a organização de um café filosófico realizado na sua casa. A metodologia utilizada no café moderado por Tomás é diferente do que eu conhecia no Brasil, o café filosófico transforma-se numa sessão de investigação filosófica feita por todos. A resposta para a questão inicial é o que menos importa!

Eugenio_RenatoBraga é a sede da APEFP – Associação Portuguesa de Ética e Filosofia Prática, atualmente presidida pelo senhor Eugénio Oliveira, licenciado em Filosofia pela Faculdade de Filosofia de Braga, fundador e Presidente da APEFP, formador de Educadores e Professores pelo CCPFC – Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua e formador em Aconselhamento/Consultoria Ética e  Filosófica. Como presidente da APEFP, Eugénio contribuiu com informações importantes sobre a associação, sua importância, finalidade e os trabalhos que vem desenvolvendo junto as escolas, empresas e outras instituições.

Diretor EscolaEm Braga, também, em companhia do professor Eugénio, tive a oportunidade de conhecer o senhor João Andrade, diretor do Agrupamento de Escolas Alberto Sampaio (AEAS). A escola possui uma ótima infraestrutura para o corpo docente e alunos, não se vê pichações, moveis destruídos, sujeira e muitas coisas. Uma escola incrível que nada se compara as escolas de ensino médio do Brasil.

Concluindo, para responder a questão inicial: Para que serve a Filosofia? Acredito que os argumentos citados são suficientes para iniciarmos um movimento semelhante no Brasil.

Para quem ainda não conhece nada sobre Aconselhamento Filosófico ou Filosofia Pratica e ainda tem um pé atrás com essa nova denominação, convido-os a conhecer mais sobre o assunto, o Centro Universitário Claretiano é a unica instituição do Brasil, promovendo curso de Pós Graduação em Aconselhamento Filosófico, a duração do curso é de 10 meses e as principais disciplinas tratam sobre as Bases Filosóficas Clássicas e Contemporâneas do Aconselhamento Filosófico, os Fundamentos Propedêuticos, Teóricos e Metodológicos e outras mais. Enfim, não se trata de propaganda, já que o Claretiano é a única instituição investindo nesse movimento e, acima de tudo, é um curso que vale a pena!

Brevemente, mais informações sobre Aconselhamento Filosófico serão divulgadas.

Por Renato Alves

 

2 comentários

  1. Paualo Moriassu Hijo

    Prof. Renato Alves,

    Gostarai de obter mais informações sobre o curso de pós Aconselhamento filosófico.

    Aguardo resposta e abraços,
    Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE