terça-feira , 12 dezembro 2017
Capa » Metafísica » Fisiologia da Alma – II

Fisiologia da Alma – II

Precisamos compreender que somos dotados de habilidades múltiplas que nos permitem sobreviver e conviver neste mundo em harmonia. Por mais lógico que isso possa parecer, não é assim que experimentamos os fenômenos diários.

Apesar de todos nós sermos classificados como Homo Sapiens-Sapiens e anatomicamente sermos semelhantes, somos diferentes um dos outros porque, nos caracterizamos por um conjunto de atributos ou habilidades que foram desenvolvidas ao longo do tempo e permitindo que cada um crie a sua ideia do Mundo, ou seja, crie o seu mapa da realidade.

Essas aptidões são inerentes a todos nós e fazem parte da constituição da nossa mente.

O Físico Wladimyr Sanchez, após pesquisar as obras de Alan Kardec e André Luiz, levanta algumas hipóteses a cerca deste assunto. Associando estes autores a teoria do condensado Bose-Einstein ele desenvolve um diagrama de blocos para ilustrar melhor a ideia das habilidades múltiplas. Na busca de conhecimentos que cercam a existência e a fisiologia do Espírito. Ao todo ele pesquisou 36 habilidades, mas para nosso estudo usaremos somente 14 delas.

 

Mediunidade – Habilidade responsável pela comunicação do indivíduo; sua função é a de detectar e decodificar ondas-mento-eletromagnéticas vindas de outras mentes ou do espaço e transformá-las em ondas elétricas de mesma intensidade, que serão lidas e processadas pelas outras habilidades e consequentemente pela mente. Ela age como um redutor e amplificador de ondas, usando como parâmetro o que chamamos de faixa de trabalho, ou seja, faixa em que a mente do indivíduo opera ou entende. Exemplo: se a onda recebida é de frequência alta, o mecanismo automaticamente a reduz para faixa de trabalho e, igualmente o faz quando a onda é de baixa frequência que no caso a obriga a ampliá-la.

Nós utilizamos as ondas pensamento para nos comunicarmos uns com os outros independentemente da língua. Estas ondas-mento-eletromagnéticas podem ser comparadas às ondas de TV, porque elas também transportam mensagens codificadas na forma de figuras, sons, cores e movimentos.

Neste caso o indivíduo pode ser comparado ao aparelho de TV e a informação na programação do canal desejado, ou seja, cabe a ele escolher o canal (frequência) e o assunto (sintonia) que deseja.

A transmissão da mensagem mediúnica inicia-se sempre por vontade do comunicante.  Este apelo pode ter resposta positiva ou negativa, no sentido de haver disposição ou não do receptor e se esse assim o quiser. Em caso afirmativo, ele recebe a mensagem e a processa. No negativo, a mensagem nem chega a ser detectada.

Assim podemos concluir que a transmissão e o recebimento de mensagens mediúnicas são atos executados com pleno conhecimento de causa, dos envolvidos. Muitas vezes, a mensagem é resumida ao que denominamos Ideia Tipo.

Ideia Tipo – conjunto de ações que formam um pensamento básico, um conceito ou uma imagem global. As ideias tipos são sempre concisas, sucintas, resumidas.

A onda pensamento quando chega a nossa mente é codificada e registrada. Ela pode ser relembrada ou não, dependendo do interesse no momento.

Não existe diferença de tratamento entre uma ideia absorvida do espaço e uma ideia criada por nós mesmos. Por isso é praticamente impossível distinguir se os pensamentos que irradiamos são realmente nossos ou externos.

A Mediunidade, assim como as demais habilidades, possuem atributos, neste caso, a Inspiração e a Intuição.

Inspiração – significa fazer com que uma ideia ou uma concepção, surja no pensamento, de maneira súbita, sem preparação prévia.

Intuição – significa ato ou capacidade de fazer com que uma ideia seja pressentida a partir de fatos conhecidos, mas não diretamente ligados a ela.

A inspiração e a intuição são ideias tipo transmitidas e detectadas através de ondas pensamento.

A interpretação da mensagem expressa através da linguagem mediúnica é passível de enganos ou erros, neste caso, acabamos por mistificar as informações e criar axiomas nocivos e limitadores, problema este enfrentado na totalidade pelas religiões que utilizam a mediunidade como ferramenta básica.

Importante compreender que todas as formas de expressão da linguagem mediúnica são validas e dependem do tipo de frequência que nos encontramos para interpretá-la. Não podemos em hipótese alguma condenar as diferentes formas de expressão, respeitando as crenças de cada um.

Devemos lembrar que muitas manifestações da linguagem mediúnica só ocorrem quando respeitamos o mito e o rito ligados a ela.

Pensamento – Habilidade responsável por criar ideias, ações, eventos ou transformá-los, associando movimento, cor, sons e imagens. Atua como organizador das informações contidas nas demais habilidades, coletando, organizando e preparando para exteriorizá-la através da Mediunidade. Para fins didáticos dividiremos as funções do Pensamento em duas: Plano das Atividades Automáticas (PAA) e o Plano das Atividades Não Automáticas (PANA).

PAA – responsável pala atividades apreendidas, repetidas e automatizadas, tais como: piscar, bombear o sangue, produzir hormônios, reger a homeostase, respiração, etc.

PANA – responsável por montar ideias novas, mas que necessitam de respaldo das demais habilidades. Por exemplo: ler esse livro requereu: Inteligência, Razão, Força de Vontade, etc.

Instinto – Habilidade responsável pelas ações repetitivas que foram apreendidas ao longo do tempo. Controla as funções vitais do corpo humano e tende a controlar, também, os comportamentos. Por exemplo: o ato de dirigir, no início temos que nos concentrar, mas depois que aprendemos, conseguimos mudar as marchas sem ter que pensar em como se faz.

Inteligência – Habilidade responsável pelas nossas escolhas, da relação com as coisas novas, de selecionar ideias, ações e resultados. Os resultados são sempre resultados das nossas escolhas, o bem e o mal dependem do ponto de vista de quem está observando.

O conceito de inteligências múltiplas criado pelo psicólogo americano Howard Gardner, pode ser entendido como habilidades múltiplas, pois, a Habilidade Inteligência atua em sincronismo com as demais, aliás, todas funcionam em regime de sincronismo e interdependência. Apesar de única, quando é associada as demais Habilidades utilizamos denominações diferentes, por exemplo:

  • Sensibilidade.
  • Inteligências Espaciais, Corporais ou Sinestésicas quando associada à habilidade da Percepção e Instinto.
  • Inteligência Lógica ou Matemática quando associada à habilidade da Razão e Discernimento.

Irritabilidade – Habilidade responsável por permitir a reação as variações do ambiente interno e externo, produzindo efeitos físico-químicos que definem o comportamento, por exemplo: quando estamos com frio o corpo treme, alertando-o para se preparar, o mesmo acontece nos comportamentos julgados bons ou maus.

Percepção – Habilidade responsável pela interação com o universo material utiliza os órgãos da visão, audição, paladar, olfato e tato para formar o seu mapa da realidade e sistemas de crenças.

Livre Arbítrio – Habilidade responsável pela liberdade de decisão, tomando como base o acervo de informações contida nas demais habilidades e atua, também, na forma de probabilidade de ocorrências, não importando se certas ou erradas.

Imaginação – Habilidade responsável por evocar imagens de objetos, pessoas, situações ou locais. A imaginação sempre supõe, presume ou conjectura, pode fazer varias combinações, permutações, etc.

Discernimento – Habilidade responsável por conhecer de maneira clara e objetiva uma situação, assentada na lógica e na ética, permitindo conhecer a diferença entre duas ou mais situações que pareçam conflitantes.

Força de Vontade – Habilidade responsável por representar uma ação. Atua como combustível impulsionando-a para atingir um determinado objetivo. São atributos dessa habilidade a Persistência e a Perseverança.

Sensibilidade – Habilidade responsável pelas sensações produzidas por agentes externos ou internos – permite o desenvolvimento dos sentimentos, de intensidade mais ou menos duradoura e sempre é acompanhada de um estado de afetividade agradável ou penosa. Quando associada ao amor, manifesta-se através da alegria, do carinho e, também, pode ocorrer a dor, o ciúme, a mágoa, etc.

Razão – Habilidade responsável pelas explicações e procedimentos coerentes do ponto de vista da lógica, da ética e da moral. A racionalização de ideias e atitudes não são obstáculos para compreender a relação com o Ser Inteligente, pois não atua isoladamente.

Consciência – Habilidade responsável por estabelecer julgamentos morais. Dentro de uma escala de valores universalmente aceita e considerada válida para um grupo ou individualidades.

Memória – Habilidade responsável pela capacidade de reter, fixar, evocar, associar, classificar, reconhecer e agrupar dados, informações, impressões e acontecimentos passados. Pode ser dividida em 02 partes: Memória de Curto Prazo e Longo Prazo.

Esse conjunto de habilidades estruturado e funcionando em regime de interdependência e sincronismo, nos habilita a desenvolver funções, tais como:

  • Reconhecer e codificar informações;
  • Desenvolver propriedades diferentes conforme o nível evolutivo;
  • Formar caracteres específicos para perceber estímulos geradores de comportamentos;
  • Reagir a uma ação provocada por excitação interior ou exterior;
  • Poder decidir sobre informações;
  • Julgar moralmente as ações e ideias por ela geradas;
  • Promover impulsos para acionar o mecanismo de exteriorização da informação;
  • Desenvolver códigos de seleção, de prioridades, de armazenamento segundo as prioridades e a sequência temporal, de emissão e recebimento de linguagem, etc.
  • Criar sequências lógicas e de imprimi-las nas informações recebidas ou emitidas;
  • Perceber o teor das modificações produzidas nas informações internas ou recebidas do exterior;
  • Poder discernir sobre o teor moral da informação;
  • Juntar informações isoladas, mas que se completam pela afinidade que possuem;
  • Detectar, processar e exteriorizar informações;
  • Reagrupar informações consideradas reflexas ou repetitivas de outras novas;
  • Recompor fragmentos de informações restaurando-as ou criando outras novas. 

É possível através de treino desenvolver cada uma das nossas habilidades, bastando praticar os atributos de cada uma, observando como reagimos em cada nível neurológico e, principalmente, utilizando os atributos da persistência e perseverança. 

Assim, como cada um vivencia os eventos ocorridos durante a existência de maneira diferente, concluímos que cada um se diferencia pelo conjunto de informações armazenadas nas habilidades.

Neste caso as habilidades podem ser entendidas como espirais, onde cada um esta num nível diferente de desenvolvimento.

 

Por Renato Alves

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE