terça-feira , 12 dezembro 2017
Capa » Trabalho » Como conseguir conciliar as questões espirituais e profissionais?

Como conseguir conciliar as questões espirituais e profissionais?

espiritualidade x trabalho 2A palavra trabalho deriva do latim tripalium ou tripalus, uma ferramenta de três pernas que imobilizava cavalos e bois para serem ferrados. Curiosamente era também o nome de um instrumento de tortura usado contra escravos e presos, que originou o verbo tripaliare cujo primeiro significado era “torturar”. Os gregos e os latinos utilizaram o trabalho, diferenciado-o em dois tipos: o trabalho criativo (dos artistas e elites) do trabalho braçal ou penoso (escravos):

Trabalho criador = “Ergon” (grego) e “Opus” (latim)
Trabalho braçal = “Ponos” (grego) e “Labor” (latim)

Nesse sentido insere-se também a antiga tradição bíblica do trabalho como castigo, ao condenar o homem comum expulso do paraíso (Adão) à labuta para ganhar o pão de cada dia (“tu comerás o teu pão, no suor do teu rosto”), alterada pelo cristianismo, seguindo as palavras de Cristo que disse: “Meu Pai trabalha e Eu trabalho”. (fonte: Wikipedia)

Não é atoa que todos nós quando nos referimos ao trabalho, o qualificamos como algo ruim, que prende e promove a alienação do Ser.

Alienação é a condição psico-social que leva o individuo a perder sua identidade individual.

Atualmente, trabalho é sinônimo de realização de sonhos, atingir metas e objetivos de vida, além de ser uma forma de expressão. É o trabalho que faz com que o indivíduo demonstre ações, iniciativas, desenvolva habilidades, e é com o trabalho que ele também poderá aperfeiçoá-las.

Para Hegel, o Trabalho teria um aspecto não somente econômico, como é comum pensar, mas também filosófico, na medida em que ele forma a consciência em direção à universalidade.

Para Karl Max, o trabalho seria a expressão da vida humana, por meio da qual é alterada a relação do homem com a natureza. Enfim, através do trabalho o homem transforma a si mesmo.

Independente da forma de pensar, sempre que nos referimos às relações entre os homens, nos referimos às inquietações do Espirito e esbarramos na fronteira dualista, que agi separando o lado profissional do espiritual.

Mas como isso é possível, se quem executa as ações é um Ser Humano? Como podemos excluir os sentimentos das nossas ações?

Quer seja de forma positiva ou negativa, os sentimentos expressam os valores que se fazem presentes no dia a dia, quer seja no âmbito pessoal ou profissional, pois, só são contextos diferentes, por isso, estarão sempre presentes. Pode ser que seja para motiva-lo ou para desanimá-lo, mas estarão lá!

Você já se perguntou qual é a origem das nossas ações?

Comportamentos impróprios ou com carga exagerada de sentimentos “negativos”, tais como: Inveja, Intriga, fofoca, orgulho, raiva, soberba e muitos outros mais, contaminam qualquer ambiente, tornando-o desagradável, sem proposito e ou significado (Lembre-se que o proposito da vida é ser feliz).

Você já se perguntou se está feliz com o que faz profissionalmente?

Ouço muitas pessoas reclamando do ambiente de trabalho (afinal, passamos mais tempo no trabalho do que com a família e amigos não é mesmo!), os comentários sempre se referem a terceira pessoa: “Você viu o Fulano, ele me disse isso e isso, imagine, eu não deixei quieto não, disse isso isso e isso para ele! A atitude dele sempre incomoda, ele podia ser diferente, acho que tem problemas, por isso, eu sempre faço as coisas dessa maneira, para que ninguém fique falando, num é?”

As pessoas se esquecem de que existe um Ser Humano por trás das ações e que as relações dependem do contexto, principalmente, de como é dito. Existe um ditado que diz assim:

“Casa que falta pão, todo mundo fala, mas ninguém tem razão!”

As pessoas mudam de humor rapidamente, muitas vezes sem motivo aparente, dizer que meu santo não bate com o dele, não pode ser aceito no mundo profissional, pois a diversificação de pessoas e, consequentemente, de ideias, é que permitem criar um ambiente mais agradável, abrindo espaço para a busca de significado.

Evidentemente, existem diferentes pensamentos sobre a espiritualidade, imagine tudo isso misturado e sem poder ser expresso, num ambiente onde você passa a maior parte do tempo e onde cada um, pensando a partir de suas crenças, tenta justificar, nos outros, seus próprios valores e sentimentos, difícil não!

Nossa próxima publicação, traremos os artigos sobre o que as religiões falam sobre como conseguir conciliar o pensamento religioso e espiritual, no ambiente de trabalho, sem ser chato!

Não percam!

Um comentário

  1. Um amigo havia me indicado e gostei.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE