terça-feira , 12 dezembro 2017
Capa » Antipatia » Antipatia 2º a Fraternidade do Arcanjo Mickael

Antipatia 2º a Fraternidade do Arcanjo Mickael

michaelVivemos num mundo de atração e repulsa.

Esta é, primeiramente a manifestação dos 4 elementos da natureza que dão a origem aos instintos básicos da natureza. Podemos observar a mesma lei entre os elementos químicos que através dela formam a beleza exuberante do mundo manifestado.

Tem que entender as leis que regem o mundo da dualidade e da quadruplicidade para não cair em armadilhas.

O ser humano que é a manifestação global de todos os planos cria a sua personalidade através desta lei a partir do ponto central que é o seu espírito invisível.

Como sabemos o nosso espírito, que é uma centelha divina, a imagem de Deus, encarna nesta terra. Isto é, une-se a uma partícula material que gera um corpo físico (através do processo da reprodução), e a partir deste momento começa uma luta gigante de domínio.

A matéria, composta dos 4 elementos e regida pela lei de atração e repulsão, deseja dominar a centelha divina e incutir nela as tendências naturais dos 4 elementos, a natureza da dualidade e da quadruplicidade, mas a centelha divina é impessoal, é consciência pura. É um estado diferente de ser que veio de outra dimensão.

Enquanto a centelha divina não adquirir experiência de conviver na matéria, enquanto a vontade suprema primordial que está nela, não manifestar a sua supremacia sobre as tendências naturais dos 4 elementos, estará sujeita a lei de atração e repulsão que na realidade criam o nosso mundo de dualidade, de sombras e de mentira.

O problema que agrava a situação é o acumulo de tensões de encarnação em encarnação. Devido a eternidade da centelha espiritual da cada ser, a memória do akasha manifesta, através da lei de causa e efeito, as reações das atitudes e dos hábitos de vidas passadas.

Por isso é necessário observar bem as atrações e repulsas que sentimos, com a finalidade de poder superá-las. Não acumular rancor nem ódio. Cada um deve ficar na “sua”, pensar primeiramente em Deus antes de tomar qualquer atitude. Buscar solucionar o problema através da humildade e do perdão, porque a final das contas devemos aprender a conviver na unidade universal, na consciência unificada do cosmos, superando as diferenças e os contrastes usando a nossa mente superior e impessoal. Ela é a nossa dádiva mais sublime que nos revela a existência dos mundos supremos.

Todos os seres foram criados pela mesma vontade suprema, portanto tem o direito de existir em harmonia e em paz.

A única maneira de erradicar os nossos preconceitos e os nossos contrastes internos é aprender a viver a nossa verdadeira vida espiritual, aquela que é própria da nossa centelha divina, aquela que conhece a paz, a harmonia e o amor.

Nós podemos erradicar o preconceito do nosso comportamento tornando a nossa vida mais espiritual. Eliminando da nossa mente os desejos desnecessários e fúteis e buscando em nos a nossa verdadeira identidade eterna que é partícipe do absoluto e do amor universal.

Esta condição existe efetivamente dentro de nos e é possível alcança-la. Primeiramente através da sinceridade das intenções que é a primeira condição observada pelos Mestres de Sabedoria e depois através da meditação, das boas ações, da renuncia das coisas desnecessárias em nossa vida que inflam o nosso ego terreno e acabam nos causando sofrimentos e aquisição de novo karma.

Voltando às primeiras perguntas. Quando tiver encontro com pessoas que causam sentimento de repulsa imediata devemos reconhecer imediatamente o sentimento e fazer em volta de nos um halo de proteção. Procurar falar somente o que é estreitamente necessário para este encontro e ter o maior respeito para esta manifestação de deus que está diante de nos com sentimento de igualdade. Devemos ter a coragem de falar toda a verdade, se necessário. Caso houver algum tipo de agressão ou desrespeito da outra parte, devemos pedir desculpas e nos afastar para não aprofundar este contato, mas se não tiver esta escolha e nos sentirmos acurralados. Devemos invocar a força do nosso espírito e aceitar com humildade este acontecimento, silenciosamente, porque tudo acontece conforme a vontade de deus e tudo vêm dele, muitas vezes por uma razão oculta que a nossa mente nem sempre pode entender.

Logo depois ao afastarmos deste encontro, a paz voltara a reinar dentro de nos.

 Fonte: Zari Alkalay

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE